Cópia de Cópia de blog 9 - DEPENDENTE x ALIMENTADO - ENTENDA A DIFERENÇA PARA A SUA DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA

DEPENDENTE x ALIMENTADO – ENTENDA A DIFERENÇA PARA A SUA DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA

Fevereiro 22, 2019 - @odontocon

Sem comentários

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Filament.io 0 Flares ×

A confusão com dados de dependentes e alimentandos é um erro muito comum na declaração do Imposto de Renda. O equívoco pode trazer muita dor de cabeça para o contribuinte, implicando até na possibilidade de retenção da declaração na malha fina, já que as informações prestadas erroneamente podem não bater com as movimentações financeiras e outros dados coletados pela Receita Federal.

Para ajudar o cidadão a evitar esse erro, temos aqui uma série de dicas para você entender a diferença entre dependentes e alimentandos e informar corretamente essas informações na sua declaração de Imposto de Renda. Acompanhe agora!

 

Dependente x Alimentado

Dependente e alimentando são figuras diferentes na declaração do Imposto de Renda. Normalmente, quem é dependente não pode ser alimentando na mesma declaração e vice-versa.

É muito importante saber a diferença entre os dois casos para não cometer erros na hora de declarar o seu imposto de renda.

 

Quem é o Dependente?

O dependente é a pessoa que se encaixa em uma das definições dadas na tabela de dependentes da Receita Federal. Pode ser o filho, o pai, o companheiro ou uma pessoa de quem o contribuinte tenha a guarda judicial.

Mas, para ser dependente, é preciso seguir as rígidas regras da Receita. Por exemplo: um filho só pode ser considerado dependente até 21 anos. Ou até 24 anos, se ainda estiver cursando escola técnica ou ensino superior.

Um companheiro precisa comprovar que vive há cinco anos em união estável ou ter filhos em comum. Um sobrinho que a pessoa ajude, mas de quem não tenha a guarda judicial não pode ser dependente.

 

Quem é o Alimentado?

O alimentando é uma figura completamente diferente. É o beneficiário da pensão alimentícia em decorrência de decisão judicial ou acordo homologado judicialmente ou por escritura pública. Pode ser uma criança ou um adulto. Exemplo: Uma ex-mulher, um ex-marido, um filho, um pai, um parente qualquer.

O contribuinte poderá deduzir gastos que teve com esse indivíduo. Porém, só poderão ser abatidos de acordo com a sentença do juiz.

 

Existe a Possibilidade de ser Dependente e Alimentado ao Mesmo Tempo?

Sim. Porém, apenas em única oportunidade. No ano em que a sentença da pensão alimentícia judicial fora concebida.

 

Deduções Possíveis

O contribuinte pode deduzir, na declaração, todos os gastos que teve com um dependente. Alguns têm limite; outros, não.

No caso do alimentando, é possível deduzir só a pensão alimentícia judicial paga. Ou seja, é preciso que um juiz tenha dado uma sentença que obrigue ao pagamento da pensão ou seguir o acordo da escritura pública.

 

Como Declarar?

O dependente deve ser identificado na ficha Dependentes; o alimentando deve ser incluído na ficha Alimentandos. Quando o contribuinte for deduzir alguma despesa com qualquer um deles, deverá identificar na própria ficha.

Assim, se for incluir uma despesa com instrução, deverá informar em Pagamentos Efetuados.

 

Se você ainda não sabe exatamente tudo o que precisa ser incluído na sua declaração de IR e não entende muito sobre o assunto entre em contato conosco ou deixe um comentário nesse post!

 

Gostou desse artigo? Comente, curta, compartilhe! Acesse aqui para conhecer o Portal Odontocon.

Cópia de cta medicon 600x100 - DEPENDENTE x ALIMENTADO - ENTENDA A DIFERENÇA PARA A SUA DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA

Compartilhe esta publicação

@odontocon